24 fevereiro 2008

Síntese da fé cristã

Por Davi Lago

Deus criou a humanidade
Deus é a maior realidade do universo. A Bíblia nos ensina que Deus criou todas as coisas. Ele criou os céus a terra e tudo o que nela existe. Da mesma forma que olhamos para um quadro e sabemos que alguém o pintou, olhamos para o homem e sabemos que alguém o criou. A Bíblia nos mostra que não somos frutos do acaso, somos amados e criados por Deus.
Adão e Eva foram criados à imagem e semelhança de Deus. Isso mostra que o homem é similar a Deus, e não idêntico a Deus. Ser semelhante a Deus é ser como Deus. As Escrituras mostram essa relação. Entre as várias semelhanças podemos apontar: a capacidade moral, o discernimento do bem e do mal, a razão e a capacidade de pensar, a capacidade de se comunicar com a linguagem, a criatividade, a capacidade de se relacionar em amor. Em todas essas coisas somos semelhantes a Deus.
E por que fomos criados? Qual o propósito da vida? A Bíblia nos ensina que fomos criados para a glória de Deus: “De longe tragam os meus filhos... a quem criei para a minha glória” (Isaías 43.6,7). Deus não precisava do homem por motivo algum, pois ele é Perfeito. No entanto, ele nos criou para sua própria glória.


O pecado separou a humanidade de Deus
O homem vivia em paz com Deus. Toda a terra vivia em harmonia com o Criador. Mas Deus estabeleceu um limite para a humanidade: o homem não poderia desobedecer a Deus. Caso o homem desobedecesse, a conseqüência seria a morte.
Mas, infelizmente, o homem desobedeceu a Deus. O Criador mandou Adão e Eva não comerem os frutos de uma determinada árvore. Mas, tentados e persuadidos por Satanás, eles comeram do fruto proibido e desobedeceram a Deus. Eles pecaram.
Pecado é toda desobediência a Deus. Pecado é virar as costas para Deus e fazer a nossa própria vontade. A palavra “pecado” significa “errar o alvo”. O alvo das nossas vidas é agradar e glorificar a Deus, pois ele é o Criador digno de receber toda a adoração. Mas quando pecamos, erramos esse alvo, pois queremos a promoção da nossa própria vontade, e não da vontade de Deus.
Inevitavelmente, Adão e Eva sofreram a conseqüência do pecado: a morte. O pecado gera a morte. “Pois o salário do pecado é a morte” (Romanos 6.23). Trata-se tanto da morte física, como da morte espiritual e da morte eterna. Toda a morte veio do pecado. E as estatísticas são impressionantes: 100% das pessoas morrem. Nada é tão certo como a morte e incerto como sua hora. A ciência por aumentar a expectativa de vida, mas apenas isso, ela não pode evitar a morte.
O pecado também causa a separação entre o homem e Deus. A primeira coisa que Adão e Eva fizeram depois de pecar foi se esconder de Deus. O pecado quebra nossa comunhão e relacionamento com Deus.
O pecado também causa escravidão. O pecado deturpa nosso coração e o escraviza. Jesus disse “Todo aquele que vive pecando é escravo do pecado” (João 8.34).
O pecado ainda causa conflito com o próximo. Adão acusou e culpou Eva. A versão mais extrema e amplificada da competição humana é a guerra: “De onde vêm as guerras e contendas que há entre vocês? Não vêm das paixões que guerreiam dentro de vocês?” (Tiago 4.1-2).
Por fim, o pecado corrompeu a toda a criação. Deus disse a Adão: “Maldita é a terra por sua causa. Ela dará espinhos e ervas daninhas” (Gênesis 3.17,18).
A Bíblia ensina que todos nós somos pecadores. Todas as pessoas do mundo são pecadoras, ou seja, desobedeceram a Deus. Por exemplo, nós desobedecemos a Deus quando:
§ Praticamos a imoralidade sexual (Marcos 7.21);
§ Roubamos (Marcos 7.21);
§ Matamos (Marcos 7.21);
§ Adulteramos (Marcos 7.21);
§ Cobiçamos (Marcos 7.22);
§ Agimos com maldade (Marcos 7.22);
§ Enganamos (Marcos 7.22);
§ Invejamos (Marcos 7.22);
§ Agimos de forma devassa (Marcos 7.22);
§ Caluniamos (Marcos 7.22);
§ Agimos com arrogância (Marcos 7.22);
§ Agimos com insensatez (Marcos 7.22);
§ Praticamos o homossexualismo (Romanos 1.26,27);
§ Agimos com injustiça (Romanos 1.29);
§ Agimos com ganância (Romanos 1.29);
§ Agimos com malícia (Romanos 1.29);
§ Agimos com arrogância (Romanos 1.30);
§ Desobedecemos aos pais (Romanos 1.30);
§ Agimos com deslealdade (Romanos 1.31);
§ Não amamos a família (Romanos 1.31);
§ Idolatramos (Gálatas 5.20);
§ Praticamos feitiçaria (Gálatas 5.20);
§ Odiamos (Gálatas 5.20);
§ Agimos de forma egoísta (Gálatas 5.20);
§ Embriagam-nos (Gálatas 5.21);
§ Praticamos orgias (Gálatas 5.21);
§ Conversamos tolices e obscenidades (Efésios 5.4);
§ Contamos piadas imorais (Efésios 5.4);
§ Não temos fé (Apocalipse 21.8);
§ Mentimos (Apocalipse 21.8).

Todos nós pecamos. O pecado é um fato universal. Todas as pessoas do mundo pecaram. Mesmo as pessoas boazinhas? Sim, mesmo elas. Como vimos acima, está escrito na Bíblia: “Todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus” (Romanos 3.23).
O que significa estar “destituídos da glória de Deus”? Significa que nenhum de nós tem obedecido e glorificado a Deus como ele merece.
As pessoas preferem fugir desse assunto e esquecer a gravidade do problema. É comum escondermos tudo debaixo do tapete. Fingimos que o pecado não existe, ou que não se refere a nós.
Os jovens fogem de Deus. Eles se atolam na maconha, na cocaína, no LSD, no ecstasy para fugir da realidade, para esquecer os problemas. Os jovens sem Deus riem somente na casca. Por dentro há um vácuo mortal. Por isso eles se embriagam e participam freneticamente de baladas, porque, se ficarem parados, o vazio interior começa a latejar. Não é à toa que o suicídio já é a terceira maior causa de morte dos jovens brasileiros.
Todos nós pecamos e estamos sujeitos à terrível conseqüência do pecado: a morte.


Jesus Cristo morreu em nosso lugar
A Bíblia nos mostra que há uma solução para o pecado. A solução é uma pessoa: Jesus Cristo.
Jesus é a figura central da história humana. A história não pode ser compreendida sem ele. Ninguém deu uma contribuição maior que a de Jesus à história do mundo. Gandhi, Che Guevara, John Lennon, Bob Marley, Napoleão, Hitler, Alexandre, Lênin, Shakespeare, Newton, Maomé são todos insignificantes perto da figura de Jesus Cristo.
Pelo menos doze bilhões de pessoas passaram por este planeta, mas até hoje, ninguém chegou sequer perto de ocupar a posição singular que Ele ocupou na história. Ele alterou o rumo da civilização mundial. Ele transformou cada aspecto da vida humana.
Jesus veio para restaurar a história, levando novamente o homem ao propósito original de sua existência. Jesus veio para restabelecer a comunhão do homem com Deus. Ele veio destruir as conseqüências do pecado. Ele veio porque Deus não nos abandonou.
A missão de Jesus foi morrer em nosso lugar. “Esta afirmação é fiel e digna de toda aceitação: Cristo Jesus veio ao mundo para salvar pecadores” (1Timóteo 1.15).
Este é o significado do evangelho: Jesus veio salvar a humanidade do pecado, da morte, do inferno. Evangelho significa “boas notícias”. Essas são as boas notícias: Jesus cumpriu sua missão, e resolveu o problema do pecado, através de sua morte na cruz e sua ressurreição após três dias.
Deus é justo deve nos punir pelo nosso pecado. Mas Deus também nos ama e quer nos perdoar. A Bíblia diz claramente que “Deus é amor” (1João 4.16).
Como Deus poderia punir o pecado sem contradizer o seu amor? Ou como ele poderia perdoar o pecado sem comprometer sua justiça? A cruz soluciona este dilema.
Quando Jesus morreu na cruz, o próprio Deus, em Cristo, recebeu o julgamento que merecíamos, a fim de dar o perdão que não merecíamos. Na cruz, Jesus estava suportando o sofrimento e o julgamento do inferno, em seu e em meu lugar. Merecemos morrer por causa dos pecados, mas Jesus é o nosso substituto.
Por causa da morte de Jesus em nosso lugar, podemos ter comunhão novamente com Deus e a vida eterna. “Cristo sofreu pelos pecados de uma vez por todas, o justo pelos injustos, para conduzir-nos a Deus” (1Pedro 3.18).
Tudo isso nos mostra que a morte de Jesus foi infinitamente mais que um exemplo heróico. Jesus é muito mais do que um mártir. Precisamos mais do que um exemplo, precisamos de um Salvador. Um exemplo pode mexer com nossa imaginação, iluminar idealismos e fortificar opiniões, mas não pode nos limpar de nossos pecados, trazer paz à nossa consciência problemática, ou nos reconciliar com Deus.
Mas além de morrer em nosso lugar, Jesus também ressuscitou. A ressurreição é a prova indiscutível de que a mensagem de Jesus é verdadeira. A ressurreição de Jesus demonstrou sua vitória sobre a morte. Jesus matou a morte. “Mas Deus o ressuscitou dos mortos, rompendo os laços da morte, porque era impossível que a morte o retivesse” (Atos 2.24).
A ressurreição é a esperança de vida eterna para o crente em Cristo. “Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente” (João 11.25-26). Somente em Jesus há segurança e certeza de vida terna. Nosso evangelho não termina num cadáver, mas num Conquistador; não numa tumba, mas num triunfo!


Aqueles que se arrependem de seus pecados e crêem em Jesus Cristo são salvos
Jesus disse: “Arrependam-se e creiam nas boas novas” (Marcos 1.15). Arrependimento significa “mudança de atitude mental”. Tudo passa a ser diferente: o pensamento, a vontade, o comportamento, o estilo de vida, os planos – tudo está envolvido nesta mudança. Arrepender-se significa começar a viver uma nova vida.
Arrependimento não deve ser confundido com sentimentos de remorso, auto-reprovação e tristeza pelo pecado, e que não tem nenhum desejo de abandonar o pecado – esses são apenas sentimentos gerados pelo temor da punição.
O arrependimento envolve a resolução de deixar o pecado para trás, entregando toda a vida aos cuidados de Jesus. Envolve a confissão dos nossos pecados: “Se confessarmos nossos pecado, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça” (1João 1.9).
Junto com o arrependimento precisamos ter fé em Cristo. “Arrependam-se e creiam nas boas novas!”. Precisamos crer que somente Jesus Cristo pode nos libertar do pecado, da morte, do inferno. Na Bíblia, a palavra “acreditar” significa mais do que uma simples concordância intelectual, ela significa “fazer um compromisso”. Assim, todos aqueles que fizerem o compromisso de viverem o resto de suas vidas para Jesus, aceitando o preço que ele pagou por nossos pecados na cruz, receberão perdão.
A salvação é um dom absolutamente gratuito e completamente imerecido. A salvação é um presente. Você não precisa pagar, basta se arrepender e crer. Está escrito: “Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras para que ninguém se glorie” (Efésios 2.8-9).

6 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Ei Pr. Davi

Muito legal esse texto.
gostaria que vc pudesse me ajudar,
tenho uma amiga ateu, e não tenho muitos argumentos para falar com ela.

Obrigada

Ariadne

2:27 PM  
Blogger Davi Lago said...

Dê uma olhada nos textos do blog, tem vários falando sobreo ateísmo..
abração

2:51 PM  
Blogger Ariadny said...

Obrigado Davi!

Jesus te abençoe

4:36 PM  
Anonymous Heitor said...

Davi, tenho 19 anos e sou novo convertido, e acredite, você tem me ajudado bastante, pois um dos empecilhos para a minha crença se tornar mais fervorosa é justamente o que o mundo nos oferece. Sinceramente, não sei como você conseguiu ser esse cristão assíduo e estudar direito ao mesmo tempo (falo da disciplina 'filosofia'). Eu sou muito ligado à filosofia e à ciência e isso em muito me atrapalha,
às vezes eu nem sei quem eu sou e nem o que sigo. Outro grande exemplo pra mim é o Francis Collins (descobri no seu blog). Sei lá, se você com toda sua experiência em Cristo tiver algo pra me aconcelhar eu agradeceria muito. Que Deus te abençoe sempre.

1:28 PM  
Blogger Fabiana Lopes said...

Olá Davi, como vai?
Li um artigo que você escreveu em parceria com o Fred Rocha sobre os jovens na Universidade.
Sou jornalista e estou fazendo uma matéria para o JUMPI Leste (Jornal da União da Mocidade Presbiteriana Independente), veículo recém-criado para os jovens das igrejas Presbiterianas da região Leste de São Paulo.
A matéria é exatamente sobre o tema do seu artigo. Gostaria de saber se você pode me conceder uma entrevista por e-mail mesmo, já que você está em Belo Horizonte. O fato de você também universitário de direito muito me interessa, pois acredito que por cursar um curso de humanas deve enfrentar constantemente ondas de ateísmo, professores e alunos com teorias contra o cristianismo...etc.
Se aceitar me dar a entrevista, por favor, envie um e-mail para fabianaslopes@gmail.com e me passe um endereço eletrônico para o qual eu possa enviar as perguntas.
Tenho que fechar a matéria até sexta, portanto ficarei imensamente grata se me respondesse o quanto antes.
Deus abençoe
Abraços
Fabiana Lopes (membra da IPI de Vila Carrão)

10:16 PM  
Blogger Carolina said...

Impressionante como vc expõe o plano da salvação de forma tão simples e dinâmica meu amigo! Deus realmente t deu o dom da escrita! Fico só imaginado qntas centenas d livros vc ainda escreverá... Q Jesus continue t abençoando! Q mts possam ler seus textos e que sejam todos impactados pela Verdade da Palavra de Deus!

4:00 PM  

Postar um comentário

<< Home