15 agosto 2006

Nietzsche está morto

Friedrich Wilhelm Nietzsche morreu mesmo. Achei a foto da sua cova.

Não há nada tão certo como a morte e tão incerto como sua hora.
O além condiciona o presente. Preparar-nos para o último dia deve ser a ocupação de todos os dias.

9 Comments:

Blogger Allan Ribeiro said...

Me falaram de uma frase que haviam pichado en um muro. Era assim:

Deus está morto!
Nietzsche

Logo abaixo outra pessoa escreveu:

Nietzsche está morto.
Deus


Allan Ribeiro

12:02 PM  
Anonymous Naty Assunção said...

Esse pobre coitado escreveu bastante besteira, como comparar as mulheres a vacas ou a qualquer outro animal, principalmente as mulheres cristãs. Ele as via como um ser inferior... O pior de tudo é que ele conhecia a Verdade, pois nasceu numa família cristã e seu pai era pastor.

Bjos meu querido Davi

10:51 PM  
Blogger Davi Lago said...

É verdade minha Amora..
Ele não apenas morreu, como morreu louco.
Bjssssssss Querida

12:04 AM  
Blogger Nagel said...

De fato. O mundo acaba nos convencendo do contrário, mas a realidade material existe em função de Deus, ou seja, do invisível. Viver a vida sem qualquer perspectiva do além, é desesperador, imagino.

Abraços, Davi.

6:02 PM  
Blogger Sammis Reachers said...

Quando eu era ateu, li muito Nietzsche. 17, 18 anos... ele quase me transforma num sociopata.
A algum tempo escrevi um pequeno poema, 'Aguilhão Quebrado':

Nietzsche disse que
“Quando você olha dentro do abismo,
O abismo olha dentro de você.”
Ontem aqui no quintal eu olhei
lá dentro do abismo e

ele me mostrou um enorme girassol:

“Onde está, ó morte, o teu aguilhão?
Onde está, ó inferno, a tua vitória?” *

* I Coríntios 15:55

Parabéns pelo excelente blog, irmão. Se der, visite:
www.poesiaevanglica.blogspot.com

8:25 PM  
Blogger Everson said...

Nietzche não comparava apenas as mulher às vacas, comparava a humanidade e ainda falava que as vacas eram melhores pq não tinham memória.

Mas engraçado vcs crucificarem ele por isso.

Afinal, o "apóstolo" Paulo dizia que as mulheres não tem direito de falar na assembléiz e que se tiverem alguma dúvida, devem perguntar em casa, a seus maridos, quando mais ninguém estiver presente.

engraçado, Paulo censura as mulheres absurdamente e Nietzsche faz uma comparação, e a quem vcs criticam?

12:14 PM  
Blogger karinarbarbosa said...

Caro Everson,
a questão não é o que se diz, mas QUEM diz. Se vc conhece a história de Paulo, sabe que ele estava fazendo advertências dentro de um contexto histórico específico. No entanto, Nietzsche fez comentários supostamente filosóficos e é considerado um tipo de papa para toda a cultura ocidental. Infelizmente, influenciou toda sua geração e as posteriores. É lamentável que a humanidade ocupe-se mais em saber a história triste e conturbada de Nietzsche, mas não se disponha a ler a história de Paulo, cuja única glória era servir a Deus e seus propósitos. Acho que nem precisa dizer quem era muito mais nobre.
Não se avalia um homem pelas suas palavras mas pela nobreza e humildade das suas ´práticas. Apesar de ser mulher, admiro Paulo e aindo mais, sinto dizer-lhe que é a-histórico julgá-lo machista, até porque na sua época, feminismo não existia.
Que Deus nos esclareça.
Karina.

11:39 PM  
Blogger karinarbarbosa said...

Se as pessoas se preocupassem em conhecer a história de Paulo, entenderiam que seus comentários relativos a mulheres e homens eram advertÊncias quanto à conduta moral e eclesiástica. Ademais, não poderiam nem ser considerados machistas, visto que na época nem havia feminismo e ele refletia a visão da época e sua cultura.
Já o caso de Nietzsche é muito mais grave porque seus comentários, supostamente fiósóficos, influenciaram todo o pensamento ocidental e muitos o consideram uma espécie de papa. A meu ver, ele foi um profeta gauche que acabou amaldiçoando sua geração e as posteriores, e acabou influenciado-as a de fato matarem Deus nos seus corações.

Quanto a Paulo, se algum conhecimento detinha, reputou por perda, e assumiu que sua única glória seriam as marcas de Cristo e a servidão a Deus. Nem precisa mais dizer quem foi muito mais nobre.
Paulo conseguiu o que nem Portugal e Espanha conseguiram: evangelizar o mundo ocidental, usando apenas uma arma: a palavra de Deus.
Diferente dos massacres promovidos pelas coroas portuguesa e espanhola, Paulo trouxe vida ao cativos de espírito.
Nitzsche, ao contrário, materializou em palavras, a tendência vil de uma humanidade decadente que já queria mesmo negar a paternidade óbvia de Deus.
Que Deus nos esclareça. Karina.

11:51 PM  
Blogger JOEL WYERAZ - EM ALGUM LUGAR said...

“VIVER O QUE SE PREGA”.
Sem dúvida Nietzsche viveu o que pregou. Entretanto o que pregou e viveu lhe trouxe paz ou alcance do “Homem-desejável”ou “Super-homem”? A História apresenta um homem de espírito atormentado e doentio.

Eu não seria capaz, em sã consciência, de seguir os passos de um homem que terminou seus dias envolto em loucuras.

Nietzsche está morto! E seus ensinamentos também!
Entretanto,
Cristo vive! Deus está vivo!
E dá vida aos que vivem com Ele e por Ele.
Assim como viveu Paulo.

Quanto ao comentário de Everson , estou de acordo com a opinião de Karina.

8:07 AM  

Postar um comentário

<< Home